29 de fev de 2012

Esculturas místicas de Pat Lillich

Criatividade é o que não falta nas esculturas de Pat Lillich: gárgulas, centauros, e diversos outros seres místicos são características de suas obras que misturam animais e humanos.
O início das esculturas de Pat foi por causa de uma aborto espontâneo que a artista sofreu.Ela sentiu que precisava fazer alguma coisa para se despedir do filho que não teve e criou uma boneca em forma de bebê.Quando exibiu a boneca numa mostra de arte, as pessoas a insultaram por ter feito uma escultura de um bebê morto.
Para ela, esculpir uma peça pode ser um tipo de meditação.Ela pode começar com uma mulher nua e com chifres.A falta de roupa indica sua vulnerabilidade, enquanto os chifres podem ser uma manifestação da esquizofrenia, dor  e indiferença.

Seguem algumas de suas esculturas:













10 comentários:

rebeldesempausa disse...

São sensacionais!

Janice Adja disse...

São belas e ricas em detalhes.
Obrigada pela oportunidade.

Bruno JP Teixeira disse...

SHOW DE BOLA MESMO...

SINISTRO SINISTROSO DA SINISTRALIDADE OCULTA... HEHEHEH

APAREÇA LÁ NA CARAVELA DO PORTUGA....

ABRÇS
BRUNO JP TEIXEIRA - O PORTUGA

Roderick Verden disse...

Bem criativo e bizarro.

Samila Étrange disse...

São esculturas magnificas!!

Isabella Felix disse...

Realmente, belíssimas. Gosto muito de gárgulas e também deste tipo de conceito.

thebelement.blogspot.com

C@RLOS disse...

Eu gosto da diversidade de formas em um único elemento (escultural ), pois nos arremete ao universo das possibilidades do que fomos, somos ou seremos diante poder imaginário que nos liberta do preconceito embutido no absoluto Humano.

EnigmA disse...

Mais uma dica do seu fiel admirador Allan Poe!
http://www.facebook.com/grotesqMB

http://allanpoe4.blogspot.com/

Andre Mansim disse...

Hehehehehhehehehe essas são até que bonitinhas!

Moda de Subculturas (Sana) disse...

Eu gostei muito da mulher-gueixa com cara de caveira!

Postar um comentário