2 de set de 2010

Uma mulher cruel e sanguinária: Elizabeth Bathory

Elizabeth Bathroy nasceu na Hungria e sua família era uma das mais poderosas do país. Ela foi uma mulher culta, teve uma ótica educação, falava vários idiomas e chamava a atenção por sua beleza. Quem a visse, achava que era uma mulher comum, entretanto, foi uma das pessoas mais cruéis que já existiu.

Desde criança, ele foi atraída por atitudes desumanas. Dizem que na infãncia, Bathory viu suas duas irmãs sendo estupradas e mortas.
Posteriormente, na adolescência, Bathory se casou com Ferenc Nadasdy, e como ele era um guerreiro que precisava ficar longos períodos longe de casa, ela tinha apenas a companhia dos criados.
Para discipliná-los, Bathory fazia atos de tortura, como deixar suas escravas na neve, arrastá-las e jogar baldes de água fria até que elas morressem congeladas.
Outras torturas que fazia era espetar pontos sensíveis do corpo com agulhas, além de despir suas criadas  e e passar mel em todo o corpo delas para atrair os insetos.Ela também chegou a abrir os cantos da boca de uma das escravas até que se rasgassem e colocar fogo nos pêlos pubianos.
Ela chegou até a participar de orgias, por causa de uma tia lésbica que sempre estava em companhia de belas garotas.
Devido ao fascínio que tinha por sangue, Bathory foi considerada como uma "vampira". Contudo, sua atração por sangue também era devido ao medo extremo que tinha de envelhecer e perder sua beleza.
Quando uma criada havia acidentalmente puxado os cabelos de Bathory enquantos os penteava, a condessa bateu na mão da escrava com tanta força que sangrou e ainda espirrou sangue na mão dela. Bathory observou que quando o sangue secava em sua pele, parecia que sua mão ficava mais clara, como a pele das jovens camponesas.
Bathory passou a torturar e assassinar as escravas até ficar ensopada de sangue.Ela sentia prazer quando o sangue banhava seu corpo e seus trajes.
Após a morte de seu marido, Bathory arranjou uma companheira, possível amante, que ensinou outras torturas.Posteriormente sua companheira também morreu, e a condessa começou a deixar alguns corpos a vista ao redor de sua moradia, o que chamava a atenção das pessoas e autoridades.
As investigações sobre os assassinatos levaram a condessa à prisão, onde permaneceu até sua morte. Ela seria sepultada na igreja de Csejthe, mas os habitantes não queriam que essa mulher cruel e sanguinária fosse sepultada na cidade.
Seguem as fotos das ruínas do castelo da condessa:


9 comentários:

Anônimo disse...

Muito massa essa historia!! caracas que menina malvada hehehe...
Massa o post
www.vainafequeda.blogspot.com

Marcelle Soares* disse...

Literalmente sinistro! :O

The Ace disse...

Ela parece a rainha vermelha do filme Alice no país das maravilhas..hehe

seguindo o blog!!

book disse...

que doida cara O.O

Nicelle Almeida disse...

Credooo, que história punk rsrsrsrsrs
Menina má essa, ein?
Adorei aprender mais um pouco!
Um grande beijo. Me visita tb? Te espero lá =)
www.nicellealmeida.blogspot.com

Andre Mansim disse...

Se essa Béte não tivesse morrido, eu ia pegar o endereço dela e mandar a polícia lá agora!!!!!!

Anônimo disse...

heheheehhe que sinistro...mulher doida!!

Dynasty disse...

Não existe quase literatura nenhuma sobre este personagem histórico. Se alguem souber, por favor, coloque aqui. Muito boa esta postagem, não poderia faltar no blog. Parabens.

Lidi Dias disse...

OLá!
Interessante a história !!
A crueldade não é cabível pela obsessão por beleza...
Boa semana !

Postar um comentário