25 de ago de 2010

Filme de terror japonês é proibido no Reino Unido por ser "implacavelmente brutal"

O filme japonês “Grotesque” foi rejeitado pela agência britânica de cinema por ser “implacavelmente brutal” e proibiu que a produção seja lançada no Reino Unido, sob pena de multa ou prisão.

A história é sobre um homem e uma mulher que são torturados e violentados sexualmente.
Para o diretor David Cooke, “Grotesque” tem narrativa mínima e apresenta ao público um cenário de brutalidade, sadismo e humilhação.



10 comentários:

VAI NA FE QUE DA! disse...

Meio Pank o filme! mas para quem curte será mais um filme para poder aprovar se é bom ou ruim!!

Clark Griswold disse...

Opa! Tudo bem? Passando para deixar um alô e agradecer pelo elogioao meu blog.

Abraços!

Michel Carvalho disse...

Retribuindo a visita. Com relação ao post, acho que com a devida classificação indicativa, não vejo problema num filme. Diferentemente da TV, que é uma concessão pública, a sétima arte não deve ter nenhuma restrição de conteúdo.

Abs!

Rafael Araujo disse...

Retribuindo a visita e seguindo tbm ok??
http://maniaderafa.blogspot.com
abraços
Parabéns pelo Blog

Victor Von Serran disse...

obrigado pela visita.
agora estou curioso pra ver esse filme
abraço vou seguir tambem

http;//universovonserran.blogspot.com

L! disse...

os filmes japoneses sempre são os mais bem feitos e que dão medo.

Singular disse...

Oi retribuindo a visita :D achei o seu blog bem alternativo e adorei o post! Bem diferente e inovador amei. bjs

Porcelain Doll disse...

Agora...esse sim é tenso demais

Roderick Verden disse...

Gosto dos japoneses, mas eles costumam exagerar muito mesmo. rs

Oswaldo Jr disse...

Pelo trailer o filme parece ser lixo. Gosto de filme de terror e já vi muitos, mas com história. Apenas imagens ruins não são uma boa ideia num filme. E este tal de "Grotesco rss" parece que não tem história pra contar. Isto sem falar que filmes assim podem facilmente transmitir energia negativa para quem assiste, especialmente amantes do estilo. Portanto, fiquem espertos.

Postar um comentário